Foto:
Ceifa tradicional em Vale da Mua

[Galeria] Projeto de Condomínio de Aldeia em Corgas

Ripagem de terrenos começa segunda-feira

A União de Freguesias Proença-Peral promoveu na localidade de Corgas uma reunião com os proprietários dos terrenos onde vai ser implementado o projeto de Condomínio de Aldeia. Este consiste, como é sabido, em transformar uma área florestal de 100 de metros em redor da aldeia, em zona agrícola, com vista a servir de tampão ao avanço dos incêndios e proteger a localidade.

A empreitada de ripagem do terreno já está entregue e tem início já na segunda-feira, na zona conhecida como Corplomes. É preciso lançar o concurso para aquisição de plantas. A candidatura para a aquisição das das mesmas, a introduzir nos locais, é para ser concluída até final de Março. Plantas que serão adquiridas pela União de Freguesias e oferecidas aos proprietários. De modo que é urgente saber que plantas a população quer ver instaladas, bem como que quantidade. Ou seja, que variedades pretendem e que quantidades. Informações que o presidente União de Freguesias virá recolher brevemente junto dos proprietário, que terão que decidir o mais breve possível.

Na reunião estiveram presentes os proprietários rurais, para esclarecimento de dúvidas e traçar estratégias.

Ficou decido que será criada uma equipa de três habitantes locais que acompanharão os trabalhos da máquina, no sentido de fornecer indicações, por exemplo sobre extremas e limites dos terrenos, bem como a quem pertencem. Neste sentido, ficou também acordado que o proprietário do terreno onde a máquina atua num determinado momento, estará sempre presente.

Daniel Farinha, técnico florestal do Município, esclareceu diversas dúvidas. Informou, por exemplo, que os terrenos podem não ser charruados e nada ser plantado, se os donos assim quiserem, mas é obrigatório serem limpos. Por outro lado, realçou que as plantas já instaladas, tais como medronheiros, castanheiros, oliveiras ou outras, podem permanecer, embora o restante coberto vegetal tenha que ser removido. Destacou ainda que terrenos que estejam abandonados e invadidos pior silvados ou matos também serão ripados, no limite dos 100 metros.

Relembre-se que o projeto Condomínio de Aldeia, que careceu de autorização cedida pelos proprietários e o corte de árvores, tem apoio de 25 mil euros para cada uma das aldeias, proveniente de fundos comunitários. Enquanto a União de Freguesias disponibiliza um total de 27 mil euros.

Na reunião esteve presente o presidente da União de Freguesias, Jorge Cardoso e secretário José Luís Alves, o presidente da Associação de Corgas (e restante direção) e os técnicos do Município Daniel Farinha e Cláudia Alves.