Foto:
Ceifa tradicional em Vale da Mua

[Galeria] União de Freguesias Proença-Peral comparticipa

Corgas e Malhadal integram projeto Condomínio de Aldeia

A União de Freguesias de Proença-Peral viu aprovadas pelo Fundo Ambiental duas candidaturas ao projeto Condomínio de Aldeia. São elas Corgas e Malhadal, a norte da freguesia, numa área densamente florestada. Os projetos já estão aprovados desde Julho, tendo sido agora assinados os contratos, em Arouca. O objetivo é a reconversão de zonas florestais em áreas agrícolas em redor destes povoados.

Como refere Jorge Cardoso, presidente da União de Freguesias, os projetos já estão em andamento, com a autorização cedida pelos proprietários e o corte de árvores. Os concursos para charruar o terreno e para aquisição de plantas vão realizar-se muito brevemente.

A nível de árvores a introduzir nessas áreas, refira-se os castanheiros, carvalhos e árvores de fruta, etc.., que serão oferecidos aos proprietários. Este projeto tem apoio de 25 mil euros para cada uma das aldeias, proveniente de fundos comunitários. Enquanto a União de Freguesias disponibiliza um total de 27 mil euros.

O objetivo desta ação é assegurar a gestão dos terrenos em redor destas duas aldeias localizadas em territórios vulneráveis, tornando-as mais resistentes às adversidades. Será concretizado um conjunto de ações destinadas a reduzir o volume de vegetação disponível para arder, com a reconversão de zonas florestais em áreas agrícolas ao longo de uma faixa em redor das aldeias. Serão plantadas árvores de fruto, surgirão hortas agrícolas até zonas de pastagem, criando uma faixa de descontinuidade florestal, evitando que em caso de incêndio as habitações fiquem protegidas, pois estas faixas funcionarão como aceiros.

Os contratos foram assinados entre o Fundo Ambiental e as Uniões de Freguesia de Proença-a-Nova e Peral, em Arouca, muito recentemente. Numa cerimónia onde este o presidente da União de Freguesias, Jorge Cardoso, o secretário José Luís Alves, bem como o presidente da Câmara de Proença; o secretário de estado da Conservação da Natureza, Florestas e Ordenamento do Território, João Paulo Catarino e também outros autarcas de diferentes regiões do país que aderiram ao projeto Condomínio de Aldeia.

O Município de Proença-a-Nova assinou na ocasião mais quatro contratos, para as aldeias de Vale de Água e Galisteus e ainda Sobrainho dos Gaios e Giesteiras, estas últimas na União de Freguesias Sobreira Formosa e Alvito da Beira.

"A aprovação destas seis candidaturas é fundamental para continuarmos a dar uma resposta assertiva na proteção das aldeias em situações como os incêndios florestais e que, em articulação com políticas já definidas para promover os produtos, possamos - além de proteger e mitigar as comunidades dos efeitos dos incêndios - potenciar os recursos e, dessa forma, gerar complemento de valor", refere João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova.

No ato de assinatura dos contratos, esteve presente o secretário de estado, João Paulo Catarino, que veio à Loja Interativa de Turismo de Arouca, para salientar a importância deste projeto, que disponibilizou 36 milhões de euros para a criação de 800 Condomínios de Aldeias, estando já criados mais de uma centena.

Segundo o governante, os fundos europeus vão "deixar de passar ao lado" de um país "no meio das matas e permanentemente ameaçado pelos fogos florestais" e dá como exemplo, os 615 milhões de euros do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) destinados às florestas.

Os condomínios de aldeia incentivam os proprietários a assumir a manutenção dos terrenos garantindo a sua limpeza e promovendo uma ocupação do solo geradora de rendimentos.

Este programa tem uma componente participativa e de envolvimento da comunidade local, em prol do desenvolvimento económico sustentável destes aglomerados populacionais.